Informação sobre ansiedade, enquanto patologia, causas, sintomas e tratamento da ansiedade, identificando o diagnóstico de fobias, transtorno de pânico, obsessivo, de estresse e  ansiedade generalizada, com dicas para a sua prevenção.


domingo, 20 de dezembro de 2015

Ansiedade

Etimologicamente, a palavra ansiedade provém do termo grego Anshein, que significa "estrangular, sufocar, oprimir". O termo correlato, angústia, origina-se do latim, onde angor significa "opressão" ou "falta de ar", e angere quer dizer "causar pânico". Tais palavras latinas derivam da raiz indo-germânica Angh, indicando estreitamento ou constrição.
Todos esses termos referem-se, metaforicamente, à experiência subjetiva característica da ansiedade.
A ansiedade é uma emoção semelhante ao medo, porém, enquanto no medo há uma ameaça definida, na ansiedade, a fonte do perigo é incerta ou desconhecida.
A ansiedade manifesta-se em diferentes planos: psicológico, fisiológico e comportamental. A ansiedade é uma vivência comum de virtualmente qualquer ser humano. A sensação se caracteriza por um sentimento difuso, desagradável, e vago de apreensão, frequentemente, acompanhado por sintomas autonômicos, como cefaléia, perspiração, palpitações, aperto no peito e leve desconforto abdominal. A constelação particular de sintomas presentes durante a ansiedade tende a variar entre as pessoas. A ansiedade é uma resposta a uma ameaça desconhecida, interna, vaga ou de origem conflituosa. A ansiedade quando considerada simplesmente como um sinal de alerta, pode ser encarada como uma emoção semelhante ao medo, podendo preparar o indivíduo para tomar medidas necessárias, para evitar a ameaça ou, pelo menos, atenuar suas conseqüências.
A Organização Mundial de Saúde na sua décima edição da Classificação Estatística e Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10)
agrupa os seguintes transtornos de ansiedade: Agorafobia, Fobias sociais, Fobias específicas, Transtorno de pânico, Ansiedade generalizada, Transtorno misto ansioso e depressivo, Transtorno obsessivo-compulsivo e Reações ao “stress” grave e transtorno de adaptação.
Já o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Norte-Americana de Psiquiatria, na sua quarta versão, (DSM-IV), classifica os transtornos de ansiedade nos seguintes tipos: Transtorno de pânico sem agorafobia, Transtorno de pânico com agorafobia, Fobia específica, Fobia Social, Transtorno obsessivo-compulsivo, Transtorno de Estresse pós-traumático, Transtorno de estresse agudo, Transtorno de ansiedade generalizada, Transtorno de ansiedade devido a uma condição médica geral, Transtorno de ansiedade devido a uma substância e Transtorno de ansiedade sem outra especificação.
Pode-se concluir que os chamados transtornos de ansiedade são um conjunto de transtornos heterogêneos, com quadros clínicos e tratamentos diferentes.

Tipos de transtornos de ansiedade

Existem vários tipos de transtornos de ansiedade que são reconhecidos e estes incluem:
- Transtorno do pânico: Pessoas com esta condição têm sentimentos de terror que surgem de repente e repetidamente sem nenhum aviso. Outros sintomas de um ataque de pânico incluem sudorese, dor no peito, palpitações (excepcionalmente fortes ou batimentos cardíacos irregulares), e uma sensação de asfixia, que pode fazer a pessoa sentir-se como estando a ter um ataque cardíaco ou "ficando louco".
- Transtorno de ansiedade social: Também chamado de fobia social, transtorno de ansiedade social envolve preocupação esmagadora e auto-consciência sobre situações sociais quotidianas. A preocupação, muitas vezes gira em torno de um medo de ser julgado por outros, ou de ter um comportamento que possa causar constrangimento ou levar ao ridículo.
- As fobias específicas: A fobia específica é um medo intenso de um objeto ou situação específica, como cobras, alturas, ou de voo. O nível de medo é geralmente inadequado para a situação e pode motivar a pessoa a evitar situações comuns, quotidianas.
- Transtorno de ansiedade generalizada: Este distúrbio envolve preocupação excessiva, irrealista e muita tensão, mesmo que haja pouco ou nada para provocar a ansiedade.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL